O que é Coaching

Publicado por Luciano Grossi em

O Coaching é um processo de autoconhecimento e determinação de ações com o objetivo de atingir uma meta.

O maior benefício para quem faz um processo de Coaching é alcançar suas metas e realizar seus desejos com mais rapidez e no caminho certo! É dar um tiro certeiro em seu alvo.

Através de uma metodologia desenvolvida e de eficácia comprovada desde a década de 1970, com foco em desenvolvimento humano e profissional, o Coach ajuda o Coachee (cliente de Coaching) a atingir seus objetivos muito mais rápidos que o normal.

O Coaching tem sua origem nos esportes, mais especificamente no Tênis, com a obra “O Jogo Interior do Tênis”, de W. Timothy Gallwey, publicado inicialmente em 1974. Tim Gallwey, como é conhecido (e que tenho o prazer de ter entre meus amigos de Facebook), era treinador de Tênis e começou a estudar, na década de 1970, nos Estados Unidos, o diferencial entre esportistas vencedores e os medianos. Percebeu que o foco e o treino constante, a entrada em ação, o controle emocional, a determinação em atingir uma meta específica faziam toda a diferença no insucesso ou sucesso dos jogadores de Tênis.

Com esse conhecimento, ele criou uma metodologia de treinamento de esportistas que obteve muito resultado. Depois disso, ele levou essa metodologia ao mundo empresarial e obteve os mesmos resultados: profissionais e executivos mais dedicados, mais focados, que alcançavam suas metas com mais rapidez!

E assim surgiu o Coaching com objetivo de apoiar profissionais de qualquer área de atuação a maximizar seus resultados com base na otimização de seus próprios recursos técnicos e emocionais.

Para que serve o Coaching?

O Coaching é um processo que utiliza ferramentas de escolha de objetivo, de análise comportamental e de planejamento estratégico, normalmente aplicadas em poucas sessões (5 a 12, na média), onde o cliente (Coachee) vai ter a oportunidade de refletir sobre:

  • sua situação atual,
  • onde quer chegar (situação futura),
  • porquê quer chegar em tal objetivo (encontrar um motivo profundo para realizar aquele objetivo),
  • o que fazer para chegar lá (planejamento).

No processo de Coaching, o Coach não aconselha nem oferece soluções. O bom Coach usa as ferramentes para que o próprio Coachee chegue às suas próprias conclusões. É isso que diferencia o Coaching de um processo de terapia, mentoria ou consultoria: a autodescoberta e a autodeterminação. E é isso que torna o processo mais efetivo, pois o próprio cliente encontra seus motivos.

Muitas vezes queremos realizar algo, ser promovido, ganhar dinheiro, empreender, emagrecer, ter um físico maravilhoso, mas sem entender o porquê daquilo. Pode parecer estanho essa afirmação, talvez você pense “quero empreender para ganhar dinheiro”, mas eu te pergunto: “para que quer ganhar dinheiro? o que vai realizar com ele?”. Esse tipo de questionamento é que leva ao aprofundamento do motivo.

É o “motivo do motivo” que nos empurra ao nosso objetivo.

Por muitos anos eu quis ter um corpo sarado e me frustava a cada avaliação na academia por não alcançá-lo. E abandonava a academia por “achar que não funcionava”. Até que, num processo de Coaching, eu entendi que não fazia sentido para mim ter um corpo sarado, já que eu era casado, não tinha a intenção de chamar atenção para meu corpo, mas para o meu intelecto, e que a academia me ajudaria a manter meus músculos fortalecidos. Hoje frequento a academia 4 vezes na semana, há 4 anos, sem fazer avaliação, sem deixar de comer as coisas que gosto, mas com parcimônia para evitar o efeito sanfona!

O Coaching não é uma terapia, onde você vai lidar e se livrar de traumas do passado, nem uma consultoria, onde você vai receber fórmulas prontas para os seus problemas.

Tanto a terapia psicológica, feita por um psicólogo, quanto a consultoria, oferecida por um consultor, podem te auxiliar em momentos específicos ou em conjunto com o processo de Coaching.

No que o Coaching pode me ajudar?

Hoje existem Coachs especializados em diversas áreas, como por exemplo:

  • Carreira – para quem quer encontrar o trabalho dos sonhos ou ser promovido, crescer na carreira.
  • Empreendedorismo – para quem quer descobrir onde empreender ou como crescer seu negócio
  • Concurso – um ramo da carreira, focado em estudos para concurso público
  • Vida e Relacionamento – para quem quer ter equilíbrio emocional, encontrar um relacionamento saudável, resolver problemas familiares
  • Saúde e Fitness – para quem quer conquistar mais saúde na vida, uma alimentação saudável, um corpo legal.
  • Financeiro – para quem quer definir metas financeiras, se livrar de dívidas, investir com objetivos bem definidos.
  • Educacional / Vocacional – para quem quer definir a melhor faculdade, focar nos estudos, escolher a carreira ainda na adolescência.

Essas são as principais áreas que conheço, mas certamente existem outras.

Como identificar um Coach sério?

Como em qualquer profissão, existem bons e maus profissionais. Para identificar um bom profissional, comece como em qualquer profissão:

  • Peça referências;
  • Peça o certificado de formação;

Um bom Coach foi formado por uma boa escola de Coaching. Peça o certificado e confira se a escola é realmente uma referência no assunto. Vou citar aqui algumas boas escolas no Brasil:

Essas são as 3 principais escolas de Coaching do Brasil. No entanto, existem várias outras ótimas escolas, não estou dizendo que apenas Coachs formados nessas são bons.

Além de pedir o certificado e referências, observe no Coach que você está escolhendo:

  • Se ele produz bom conteúdo nas redes sociais, o que indica que ele está sempre atualizado. Um bom conteúdo não é sinônimo de frases motivacionais, mas conteúdo que agregam informação;
  • Se ele oferece garantias, como a possibilidade de testar o processo e receber o dinheiro de volta caso não goste;
  • Se ele propõe um processo com quantidades de sessões limitadas (que podem variar de acordo com o caso, mas tem que ser limitado, se não vira terapia ou mentoria);
  • É comum em alguns ramos de Coaching, como Concurso ou Fitness, o Coach agregar o processo de Coaching a um processo de Mentoria, para um acompanhamento mais prolongado do cliente. É importante que o Coach seja transparente nesse processo e te ofereça “Coach + Mentoria”.

Lembrando, como dito acima, que o processo de Coaching envolve auto conhecimento, auto descoberta e auto motivação. Não é um bom Coach o cara que, nas sessões:

  • sugere uma meta para você alcançar – a meta tem que fazer sentido pra você, para mais ninguém
  • fica te criticando – o Coach deve saber ouvir e entender o mundo pelo seu ponto de vista
  • fica dizendo o que fazer – ele deve te desafiar a definir
  • aconselhando sem ser pedido – o Coach deve propor reflexões, não aconselhar – isso é mentoria

Finalizando…

Como em qualquer profissão, existem os bons e os maus profissionais, no entanto, o Coaching é uma metodologia séria, comprovada cientificamente, com organismos internacionais que avaliam a qualidade das escolas em todo o mundo, focado na busca rápida de resultados para as pessoas.

Ele não é para qualquer um e nem para qualquer situação. Existem pessoas que precisam de terapia, pessoas que precisam de uma mentoria ou uma consultoria, e pessoas que podem se beneficiar muito do processo de Coaching.

Como em qualquer trabalho, não existe mágica. Não há fórmulas prontas para te motivar. A real motivação para realizar seus projetos e metas está dentro de você. O Coaching será mais eficaz quanto mais você estiver disposto a se conhecer, a se descobrir, a assumir suas falhas e seus reais desejos – e não os desejos dos outros.

Muita gente não busca isso, busca fórmulas prontas e mágicas para conquistar metas que os outros o impõem – e está tudo bem! O Coaching não é para essas pessoas, mas existem outros profissionais para atendê-los.

Mas se você quer buscar algo que importa pra você e está disposto a se conhecer profundamente para alcançar sua meta, procure um bom Coach e acelere seus resultados!

Comente

Categorias: Coaching